O fim de um sonho… o começo de outro…

No dia 23 de maio, folheando o jornal O Diário de Mogi das Cruzes, como sempre parei para ler com mais atenção à pagina de gastronomia, pois adoro cozinhar, apesar de não chegar aos pés de um verdadeiro chef de cozinha.

Nesse dia, me chamou muito a atenção o título da coluna Diário de um Cozinheiro escrito pelo chef Fábio Watanabe “Por que o Coronel fechou?”. E o que era o “Coronel” afinal?

Era o restaurante que Fábio, sua esposa e seu irmão abriram há 3 anos em Mogi. Infelizmente, não conheci sua casa e comida, pois, para quem tem uma filha de 2 anos como eu, determinados locais não são apropriados para uma figurinha como a que tenho em casa, que não pára um segundo e acaba até perturbando outras pessoas e uma boa comida é feita para ser saboreada com tranquilidade.

Mas sempre que passávamos em frente, meu marido comentava “parece ser um lugar bem bacana!”.

O artigo que o Fábio escreveu neste dia foi quase que um desabafo e a mostra de uma grande tristeza de encerrar algo que com certeza foi um sonho alimentado com muito tempero e carinho.

Toda vez que vejo um ponto sendo reformado, uma loja e escritório sendo montados, torço para que tudo dê certo, pois sei o quanto as pessoas depositam ali suas esperanças, de uma vida melhor, de realizações, de anos de dedicação e estudo.

E toda vez que vejo algum negócio sendo fechado, fico muito triste, pois sei o quanto isso faz com que as pessoas se questionem em relação à sua capacidade, seus erros e culpas; sua auto-estima e autoconfiança são minadas e poucas pessoas permanecem para apoiá-las.

Porém, acredito que essas pessoas que não tiveram o sucesso almejado são vencedoras, pois tiveram coragem em buscar seus sonhos, ao contrário de muitos que passam a vida inteira desejando, mas não agem e nunca saberão se chegarão lá.

Que os erros cometidos sejam vistos não como fracassos, mas como aprendizado para que se possa fazer melhor da próxima vez, afinal há muito para se construir pela frente.

Normalmente, ficamos presos nas coisas ruins que aconteceram. O Fábio relatou vários incidentes que aconteceram com clientes e acho que daqui a algum tempo ele rirá disso tudo, por exemplo, o cliente que achou que o Petit Gateau estava cru, a senhora que pediu um risotto e disse que aquilo não era risotto (as pessoas acham que risoto é o arroz misturado com um monte de legumes).

O que devemos lembrar são daqueles que fizeram parte dos melhores momentos, a equipe, os clientes que sabem apreciar um bom prato, um bom atendimento; que acabaram se tornando verdadeiros amigos e fãs.

Não tive a oportunidade de conhecer o Fábio, mas tenha certeza que este sonho terminou para que possa começar outro com muito mais força, coragem e determinação.

Boa sorte e continue alimentando seus sonhos!

Ah! O Fábio tem um blog muito apetitoso, leia http://www.diariodeumcozinheiro.blogspot.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s