Inovar não é preciso tecnologia e nem ser algo novo

Muitas pessoas, quando falo em inovação, acreditam que precisarão utilizar tecnologia e ser algo que ninguém fez e aí dizem: “Isso é muito caro, não tenho dinheiro para investir!”

E na realidade podemos inovar no nosso dia a dia sem grandes recursos e utilizando o que temos. Nem todos teremos ideias que promoverão uma inovação disruptiva (algo totalmente novo e que muda o mercado), o que é muito difícil acontecer.

Porém, todos podemos ter ideias que melhorem nossos produtos ou serviços, oferecer de uma forma diferente, atuar em um mercado que nunca atuou e não conhece nosso produto ou serviço.

Podemos inovar na gestão da nossa empresa, nos nossos processos, na forma que divulgamos. Enfim, a inovação está mais perto de nós do que imaginamos. É o que chamamos de inovação incremental.

Nessa época de pandemia, vimos negócios tradicionais repensando a forma de poderem sobreviver no mercado.

Um exemplo, foi o mercado de exposições de arte. Ninguém mais pode ir a um museu ou galeria de arte, porém quantas pessoas gostariam de ir? Sendo assim, criaram o Drivethru.art. Fui com minha família e aprovamos a experiência, um enorme galpão onde entramos com o carro e vários painéis haviam nele onde parávamos por alguns minutos e ao acessarmos um link ao entrarmos tínhamos acesso a uma gravação em áudio da explicação da obra e também por escrito.

A Anima Tutti Eventos Temáticos, empresa especializada em recreação, também tomou um enorme susto com a quarentena, afinal como fazer recreação se não fosse presencial. A Nívea, proprietária da empresa, parou, pensou e começou a vender recreação online pensando nos pais que estavam em home-office e queriam distrair os filhos. Deu tão certo que fez eventos transmitidos para vários países, além de cursos para recreadores.

Quantos empreendedores que trabalhavam com alimentação tiveram que inovar para não parar? Buffets que criaram caixas de festas personalizadas entregues na casa do cliente, outros que criaram kits festas de salgadinhos, docinhos e bolos. Na Festa Junina, criaram kits de comidinhas e bebidinhas para que o pessoal pudesse curtir em casa.

O chef Leo Paixão fez entregas via delivery e em determinado horário, ele abria um encontro online com esses clientes para finalizarem os pratos e jantavam todos “juntos” virtualmente. Foi um sucesso!

Nós, da Fábrica de Empreendedores, também não deixamos a peteca cair. Mudamos nossas consultorias e treinamentos para online e podemos afirmar que o resultado para o cliente é o mesmo e muito mais produtivo, pois tornamos os encontros muito mais assertivos.

E assim, vamos “sobrevivendo” a esse momento, sendo pequenas ou grandes empresas, todos vamos nos adaptando e buscando inovação em nossos negócios.

Dá para mudar o jogo, só que é necessário pensar e testar as ideias, não ter medo de errar e começar de novo.

Enfim, essa é a vida empreendedora. Seguimos…

Um comentário sobre “Inovar não é preciso tecnologia e nem ser algo novo

  1. Pingback: Você está utilizando sua base de clientes para vender mais? | Fábrica de Empreendedores

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s