Escute o que vem do chão de fábrica!

A comunicação é de fato um problema nas empresas.  Quando mais subimos de cargo, menos escutamos o que acontece no “chão da fábrica”, muitos ruídos acontecem na comunicação, um dos mais famosos é a “rádio peão”.

“Funcionários de chão de fábrica” é uma expressão frequentemente usada para denominar os colaboradores que trabalham em indústrias, no nível operacional da organização, geralmente em tarefas de produção. Mas podemos levar isso para o escritório, para startups, para qualquer ambiente de trabalho.

Quando começamos a subir hierarquicamente, ficamos distantes do “chão de fábrica” e acredito que nesta subida o ar fica mais rarefeito (rs), ou seja, começamos a ter os sintomas do aumento gradual da altitude, falta oxigênio e sem o oxigênio nosso cérebro começa a sofrer, podendo causar perda da visão dos micros processos, perda da condição motora de como fazer? o coma da inércia, o coração para de bater por realizações, entre outros problemas.

Tirando um pouco o lado sarcástico do post, o que quero dizer é que devemos sempre escutar o que vem do chão da fábrica ou do escritório, “os peões” sabem o que está acontecendo nos processos.

Quanto mais distante das fontes de comunicação e menos canais sadios, a empresa perde grandes informações que são primordiais para um planejamento estratégico. Esses canais que criamos na comunicação entre a hierarquia e chão de fábrica regam e distribuem de forma verdadeira e sistemática todo o plantio, deixando o chão de fábrica fértil e produtivo.

A comunicação deve fluir ao mesmo tempo, sem “delay”, o mesmo conteúdo e a mesma qualidade, nem mais nem menos, sem deixar dúvidas. Reuniões eficazes, bem estruturadas e com pautas definidas podem ajudar, mas o mais importante são aqueles cafezinhos na cozinha, o momento do cigarro (dos fumantes), o almoço da turma – esse sim é o momento de entender a equipe e saber de verdade o que está acontecendo.

Se todos estiverem cientes da importância do seu trabalho e dos seus propósitos será muito mais fácil chegar aos resultados. Esteja aberto para ouvir e tome decisões baseadas em fatos e não no “achismo”.

Não basta construir uma equipe, você deve conectá-las.

Até o próximo post.

Samuel Pagano

Sócio-proprietário da Fábrica de Empreendedores

samuel@fabricadeempreendedores.com.br

 

Anúncios

Pequenas ações, grandes feitos

Olá!

blurred-image-of-people-in-underground2016 passou rápido, não é? Parece que foi ontem. Uma sensação de que o tempo está voando a cada ano que passa, mas o tempo sempre é o mesmo. O que pode mudar são nossas atitudes no nosso dia a dia.

Pequenas ações levam a grandes feitos, mas para tudo isso acontecer temos que nos mexer. Nos preocupamos muitas vezes em superar os feitos de outras pessoas quando na verdade temos que superar a nós mesmos.

black-and-white-image-of-young-woman-sitting-on-benchSó você e mais ninguém sabe das suas dificuldades e resolvê-las depende 99% das suas atitudes. E quando essas dificuldades passam pelo financeiro e que muitas vezes buscamos resolvê-las de forma “desestruturada” e desesperada, ao invés de resolver, aumentamos o problema.

Este ano o TeuControle quer que você saia desse círculo vicioso, como dizemos “ é você, no controle das suas finanças

Nosso foco em 2017 é mostrar como você pode fazer um ano diferente, sair da rotina das tentativas e entrar na rotina do fazer: a palavra é executar!

tourist-looking-at-mountainsProblemas irão existir, mas se você estiver planejado as dificuldades serão enfrentadas com mais clareza e assertividade. Vamos construir um 2017 diferente e que não será mais do mesmo de 2016.

Inscreva-se no www.teucontrole.com e receba um Ebook de “Como começar seu planejamento financeiro pessoal”. Ele é simples e de fácil execução.

E para embalar este ano que tal um som,  aumente o volume…


Obrigado e até o próximo post.

Equipe TeuControle.com

Vai de 07 ondinhas de novo?

Mais um texto do blog TeuControle, curta e compartilhe !

pular-7-ondinhas-reveillon

Gosto muito desta frase: “Não chame de destino as consequências de suas próprias escolhas”. Muitos acreditam que só pular 07 ondinhas fará com que seu ano novo fique melhor ou usar uma peça de roupa de uma determinada cor lhe trará o seu desejo.

Vale o que o filósofo brasileiro Mário Sérgio Cortella diz sobre o verbo Esperançar de Paulo Freire:

Como insistia o inesquecível Paulo Freire, não se pode confundir esperança do verbo esperançar com esperança do verbo esperar. Aliás, uma das coisas mais perniciosas que temos nesse momento é o apodrecimento da esperança; em várias situações as pessoas acham que não tem mais jeito, que não tem alternativa, que a vida é assim mesmo… Esperançar é se levantar, esperançar é ir atrás, esperançar é construir, esperançar é não desistir! Esperançar é levar adiante, esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo.”

Levando para o lado das finanças quando falamos que no TeuControle “é você, no controle de suas finanças”, é como dizer que não devemos deixar ao acaso, por exemplo “deixa a coisa rolar” que depois eu vejo como faço – é ser medíocre, é fazer do ano novo cópia do ano velho.

Aproveite o ano novo e se revitalize, trace um caminho, não se deixe levar pela onda do “depois eu vejo”, não seja “mais do mesmo”.

Nas finanças busque o equilíbrio, busque a prosperidade, coloque pequenas tarefas para caminhar em direção à independência financeira, crie Metas – mexa-se, não espere, tome atitudes concretas e decisivas, não seja um Pôncio Pilatos em sua vida, lavando as mãos e culpando o destino, são suas escolhas hoje que definirão seu futuro.

 Em vez de 7 ondinhas que tal trocar por 7 ações, vamos lá:

objetivo

  1. Tenha objetivo – coloque no singular, não pense em vários, pense em um objetivo, escreva, deixe-o bem específico, isso te dará foco. Coloque prazo para atingir, no mínimo 3 meses, e faça pequenas ações durante a semana, 2 ou 3 ações. Esse é um dos grandes segredos do sucesso, canalizar toda a sua atenção e energia para concretizá-lo;

habito_10

  1. Crie um hábito produtivo – baseado no seu objetivo, identifique, pesquise um hábito que pode ajudá-lo a conquistar esse objetivo único. Dedique-se durante 3 meses a esse hábito e registre seu progresso, crie situações que favoreçam a aplicação deste hábito;

executar-tarefas

  1. Executar – hora de arregaçar as mangas e fazer, aqui começa onde todos param, não há uma sequência, não desanime, busque o foco no resultado, estabeleça ganhos diários, semanais ou mensais, para motivá-lo. São as atividades que irão nortear o seu caminho;

logo_simples_assim

  1. Seja simples – Simplicidade na vida é tudo e é o mais difícil! Na ânsia de ter resultados rápidos nossa mente fica caótica, bate desespero – por isso pare e respire! Se preciso for, conte até 10 antes de começar. Quando estamos menos eficazes, nos tornamos menos felizes e perdemos o rumo. Busque simplificar seu objetivo, comece priorizando as atividades, seja diária, semanal ou mensal. Quando entendemos a dificuldade e a simplificamos, nos sentimos fortes, os resultados aparecem e nos sentimos motivados. Então quando sentir o desespero ou o caos, pare, respire, conte até dez, e volte ao foco;

sejapositivo

  1. Seja positivo – quando falo de positividade, não é só pensar positivo, mas agir positivamente. Descubra o que te faz feliz, identifique ambientes e pessoas que lhe proporcionam felicidade e depois, faça tudo que estiver ao seu alcance para manter essa felicidade.

para-voce

  1. Tenho um tempo para você – Parece brincadeira, mas nos boicotamos muitas vezes para atender a outras pessoas, não que não seja importante, mas temos que ter um tempo só nosso, para oxigenar a alma, revitalizar as ideias – isso é um momento fundamental, agende um tempo para você, se não tem, arranje! Isso é essencial, não abra mão;

concentracao

  1. Concentração – meia hora antes de dormir, pense como foi seu dia, faça uma avaliação, planeje o dia seguinte, entenda e elimine as urgências, não deixe para depois, faça! Comece o dia concentrando-se no que planejou, isso pode ser um dos seus hábitos (item 2 desta lista). Termine a primeira tarefa, dê uma pausa de 1 minuto, alongue-se, respire e parta para a segunda tarefa. Trabalhando desta forma repetidamente, garanto que os problemas irão diminuir e os resultados irão aparecer. Para quem quer FAZER, nada é IMPOSSÍVEL.

Claro, que essas 7 ações dão “trabalho” e claro que pular 7 ondinhas é bem mais fácil. Se você é daqueles que gostam de “deixar a vida te levar” continue a pular as 7 ondinhas, mas se você é daqueles que querem evoluir e sair do caos, fica a dica do TeuControle.

Lembre-se “enquanto uns choram, outros vendem lenços”.

É você, não só no controle de suas finanças e sim é você, no controle da sua vida. Faça 2017 diferente, pense?

“ Estou vivendo a vida que sempre sonhei? Como gostaria de viver? O que ainda falta fazer? Como irei fazê-lo? E quando irei fazer? ”

E até o próximo post.

logo teu controle

Clique no logo do TeuControle e acesse o sistema financeiro (gratuito)

Como dar mesada aos filhos

Mais um post sobre finanças do nosso parceiro TeuControle.com

mesada_meu-bolso-azul

Não adianta nada fazer um controle das finanças se você não explica à família o real motivo desse controle. Quando se faz o controle das finanças entre o casal da família fica mais simples, pois eles sabem como anda as finanças no dia a dia.

Passar esse comprometimento aos filhos que é o desafio, pois suas necessidades e valores sobre o dinheiro são diferentes de nós, pais. Um bom caminho para explicar finanças aos filhos é começar trabalhando a mesada, e o que é mesada?

 educacao-financeira-pais-filhos-mesada “É um valor acordado entre pais e filhos a ser entregue regularmente para que os filhos aprendam a lidar com dinheiro com uma certa independência” – neste caso ainda não é uma independência total.

Para que os filhos entendam o valor do dinheiro, o ideal é começar o mais cedo possível, o educador financeiro Álvaro Modernell explica como pode ser este processo.

Este processo pode ser aplicado no TeuControle.com, utilizando como recurso – adicionar uma despesa com o nome “mesada” e utilizar repetir “semanalmente ou mensalmente”.

Olhe o quadro abaixo para ter der dicas e um parâmetro de periodicidade:

slide1

Outra dúvida frequente é: qual o valor deve ser dado? O importante é os pais terem a noção muito clara a respeito de suas condições financeiras, não se baseie pelo “coleguinha” da escola, é buscar uma média.

 pais-educacao-financeira-filhos Entenda que a mesada é um instrumento de educação financeira. Ela por si só não ensina nada, é preciso orientação dos pais. A utilização do TeuControle.com vai te ajudar criando “perfis” na aba Configurações – Criar Perfil.

É explicar que se ele (criança/ adolescente) quer comprar algo e custa mais caro do que ele recebe de mesada, precisa juntar 2 ou 3 mesadas para adquirir, pode ensinar a pedir descontos com pagamento à vista, comparar preços (pesquisas de mercado).

Devemos manter o compromisso como pais de comprar o lanche da escola, pois se utilizarmos a mesada para a compra do lanche pode ocorrer o risco de que a criança troque o lanche pelo dinheiro. É o mesmo caso na adolescência, manter a compra de roupas, sapatos e cursos como prioridade dentro do orçamento da família sem comprometer a mesada, mas se quiser comprar algo que foge ao orçamento familiar, aí sim deve-se utilizar a mesada como recurso.

filhos-empreendedores Uma outra forma de melhorar a mesada é estimular o empreendedorismo da criança/ adolescente, desenvolver uma atividade que gere renda. Se a criança/ adolescente tem alguma habilidade artística pode ensinar alguém ou produzir para vender. Sempre com orientação dos pais.

Nunca compre notas escolares! Se tirou boas notas o valor permanece o mesmo, se as notas não estão boas, limite-se apenas a monitorar os gastos, a mesada será mantida.

Estimule a criança/ adolescente a poupar no mínimo 20% da mesada. Mantenha uma regra clara sobre o que você irá pagar e o que irá sair da mesada dele.

Uma outra dica importante: se você vai dar R$ 100,00, dê R$ 50,00, a escassez ensina mais do que a abundância! É mais fácil equilibrar a mesada para cima do que para baixo.

Educação financeira se baseia em “quando tem o dinheiro disponível, pode-se consumir, mas sem perder a responsabilidade, quando não tem é preciso esperar e juntar para conseguir o que quer”.

Acesse TeuControle.com e tenha uma saúde financeira estável, porque é “você, no controle das suas finanças”.

Se gostou das dicas compartilhe nas suas redes sociais. Abraços e até o próximo post.

Equipe TeuControle.com

marca-teucontrole

O que as crianças do Masterchef Jr. podem nos ensinar no dia a dia do trabalho

masterchefEm casa, todos gostamos de programas de culinária, minha filha de 9 anos é super fanática, se deixar, não quer dormir para assistir. Sempre aprendemos técnicas e receitas diferentes que tentamos reproduzir, às vezes dá certo e outras não.

O Masterchef Jr. seria mais um programa, porém ele tem nos proporcionado outros ensinamentos. Mas, afinal, o que um monte de criança poderia ensinar a nós, adultos experientes, com conhecimento e várias habilidades?

Por incrível que pareça, muita coisa e ao assistir o programa, não me emociono apenas com a saída deles, mas com o comportamento que cada um demonstra.

Vamos lá para seus ensinamentos:

  1. Crianças são livres e verdadeiras, falam o que sentem, soltam seus sentimentos, são intensas, choram, vibram, riem, demonstram medo. Dessa forma, os jurados buscam amenizar os sentimentos mais negativos porque sabem verdadeiramente o que elas estão pensando. Viramos adultos e nos dizem que não podemos demonstrar nossos sentimentos porque é sinônimo de fraqueza, temos que manter uma falsa segurança, uma falsa alegria e assim, nunca conhecemos verdadeiramente as pessoas, não conseguimos ajudar e nem ser ajudado.
  2. Elas mostram que o trabalho é sério, mas pode ser divertido e feito com prazer. A brincadeira deixa tudo mais leve, mesmo com pressão. Ainda há um falso mito de que para se ter credibilidade e se mostrar responsável, não deve haver brincadeiras. Vejo líderes que acreditam que as pessoas apenas têm foco e dão resultado se não houver interação, que brincadeiras fazem pessoas se dispersarem. O bom clima é fundamental para manter o engajamento das pessoas, esse é um dos aspectos de retenção de funcionários. Trabalhar com prazer pode ser possível, não um ambiente terrorista.
  3. As crianças estão competindo, porém torcem pelo outro, pedem ajudam, ajudam uns aos outros. A colaboração é mais importante do que a competição. Talvez, sem ter noção clara disso, eles entendem que cada um colherá seu próprio resultado, afinal só depende dele Não é o outro que o prejudica, mas seu próprio comportamento. E por que nas empresas, algumas pessoas tentam prejudicar as outras? Por que não colaboram? Enquanto gastam energia para isso, deixam de buscar seu próprio resultado. Se buscassem a colaboração, poderiam ter resultados muito melhores. É tão bonitinho vê-los assumindo a responsabilidade: “O que me atrapalhou foi minha ansiedade… minha falta de organização.” Nas empresas, o discurso muito provável é: “Eu mandei um e-mail, mas fulano não fez… A mocinha não entregou…”, ao invés de dizer: “Eu esqueci de monitorar a entrega…”
  4. Alguns pais quase prejudicaram as crianças no primeiro programa, mostraram que a interferência das pessoas pode fazer perder o foco e muitas vezes causar dúvidas e perda da autoconfiança. As crianças que chegaram lá sabiam o que faziam, chegaram por seus próprios méritos. Não é porque são seus pais, que eles são melhores do que elas. E isso se dá no ambiente corporativo, não é porque sou o líder, sei mais. Em determinados momentos, pode não saber. A falta de confiança dos líderes em sua equipe causa uma grande desmotivação, pois o funcionário deixa de ser criativo, dar novas ideias, se comprometer. E quem perde? A empresa.
  5. As crianças recebem feedback, ouvem e aceitam as dicas porque percebem a verdade. Os jurados dão uma aula de feedback, reconhecem o esforço, os bons resultados e em seguida, se algo não saiu tão bem, dão sugestões de melhoria, dão um caminho para o futuro. E nas empresas? É assim? Quando pergunto para as pessoas quando foi a última vez que receberam algum reconhecimento, elas riem e muitas dizem que faz muito tempo, porém quando é algo que fizeram de errado, levam bordoadas de todos os lados. O feedback é um conceito tão difundido e tão pouco aplicado ainda. Líderes não reconhecem, apenas “castigam”. Pessoas são motivadas por reconhecimento, não dinheiro apenas. Por isso, vejo funcionários que já estão tão acostumados com as repreensões que nem ligam mais, pois o líder perde a credibilidade e a lealdade de seu pessoal. As pessoas não são orientadas e por isso, não conseguem melhorar.

Estou apaixonada por essas crianças e gostariam que elas não perdessem essa essência quando crescessem porque o mundo corporativo está carecendo de líderes como esses. Seria um ambiente muito mais saudável. As pessoas não ficariam esperando ansiosamente a sexta-feira, teriam prazer de estar no trabalho durante a semana.

Que tal aprender com essas crianças?

Texto: “O Direito de Brincar”

Este texto de Gilberto Dimenstein nos faz refletir do quanto gostamos do que fazemos e de aprender novas coisas. E a vida do empreendedor deve ser feita de aprendizados e novos desafios.

… EDUCAR é ensinar o encanto da possibilidade, e APRENDER é sentir a emoção da descoberta. Gostar de aprender sempre é o melhor (e o mais útil) que uma escola pode ensinar a seus estudantes. O resto é detalhe.

Somente progride, de verdade, em sua profissão quem gosta de aprender; basta ver o histórico das pessoas que atingiram sucesso profissional.

Ansiosos, os pais querem que seus filhos aprendam rapidamente a ler e a escrever, quando deveriam apenas saborear a “contação” de histórias.

… Brincar é, em essência, experimentar a emoção da descoberta. É surpreender-se investigando, no cume da árvore, as frutas e as flores. É admirar as conchas na praia, olhar os peixes no rio, sentir o gosto da chuva no rosto, sujar-se na lama, entrar em cavernas. Ou simplesmente ficar sem fazer nada vendo as coisas, quaisquer coisas, passarem, entretido com o canto de um passarinho. É cutucar a terra, … ficar sentado, intrigado com as cores do arco-íris.
Na brincadeira, unem-se o prazer e o aprendizado. Todos os grandes profissionais que conheci trabalham como se estivessem brincando. Até podem gostar de ganhar muito dinheiro, mas, provavelmente, fariam o que fazem (e com o mesmo empenho) por pouco dinheiro.

…quanto mais longe vai o indivíduo, mais prazer ele tem naquilo que faz. Por isso ele suporta tanto estresse e frustração – o preço que é cobrado pelo alto desempenho.