Quem quer ser um Milionário ?

by TeuControle.com

slide1

quem-quer-ser Este post é para falar sobre a vontade de todos de se tornar um milionário, de poder viver sem a preocupação da falta de dinheiro.Para encontrar este caminho de “ser milionário”, um dos primeiros itens é ter disciplina e saber que o crescimento financeiro é um degrau por dia, ou se ganhar na loteria pode pular alguns degraus, mas aí é sorte. Se for na Mega-Sena com 06 números, a probabilidade é de 1 em 50 milhões.

Mas voltando à disciplina. É um hábito, se você deseja tê-lo, tem que praticar e praticar constantemente com muita persistência até que entre no automático, ou seja, vire rotina.

Um dos fatores que contribuem para manter uma disciplina é ter um objetivo. É saber porque está gastando, investindo ou guardando dinheiro.

Pense bem: o dinheiro em si não traz felicidade, mas sim as coisas que realizamos por meio dele. Uma frase que gosto é “porque bobo quer dinheiro? ” –  enquanto não tivermos a noção do que realizar com o dinheiro, seremos bobos, pois gastamos desenfreadamente e sem propósito.

Então chega de falação e vamos à ação “Quem quer ser milionário? ” – Vamos criar o caminho da prosperidade. Lembre-se sempre: “é você, no controle das suas finanças”.

Primeiro passo é saber o que quer? Seja específico, descreva com exatidão o que deseja: um carro, uma casa, uma viagem, um curso etc. Use o espaço abaixo e escreva…

especifico Específico:

Segundo Passo é saber o valor do que se quer. Faça uma pesquisa baseada no lançamento dos dados do específico, quanto mais específico, mais perto do valor real do que se quer, a pergunta chave é quanto custa? Escreva o valor no espaço abaixo…

dolar Valor:

Terceiro Passo é começar a planejar como irá adquirir o bem ou serviço. A pergunta é “Como fazer” – concentre-se nas atividades, faça uma divisão das atividades em tarefas e compromissos e sempre com data para a execução. Utilize a tabela abaixo como referência para criar as atividades.

Lista de tarefas Data execução   Compromissos Data Início Término

 Quarto Passo é um dos mais importantes, é o que nos move a executar as atividades planejadas, “o por quê” – qual é a importância disso para mim, neste item digo que é a sua motivação. Se não tem um propósito bem relevante, aqui acaba seu planejamento, ou pior, seu sonho. Então descreva com poucas palavras um acordo com você mesmo. Seja verdadeiro…

pense Propósito:

Quinto e último passo, a data de realização, a pergunta é “Quando?”, qual a data que terminarei, quando irei comemorar o meu êxito, baseado nesta data você pode construir todo o terceiro passo. Coloque uma data final que pode mudar, de acordo com a evolução das atividades, o que não pode mudar é o propósito. Então, quando irá celebrar…?

celebre Celebração:

As pessoas bem-sucedidas criam condições favoráveis em buscar uma vida melhor, atrelada a um bom planejamento financeiro, mas as condições só mudam se você desejar mudar.

michelangelo Já dizia Michelangelo:“O problema com a maioria não está em mirar alto e acertar, mas em mirar baixo e acertar.

Seja ambicioso, não ganancioso! A ambição muitas vezes é a chave que faz com que se movimente e busque realizar seus sonhos.

Dê valor ao seu dinheiro, ele consome boa parte do seu tempo, então utilize os passos acima e crie um caminho próspero, vivendo o que realmente é importante e necessário e fuja do supérfluo.

O TeuControle.com pode te ajudar nesta caminhada, pois só se caminha com segurança financeiramente pensando sempre que é “você, no controle das suas finanças”.

Se gostou compartilhe com seus amigos e nos siga no logo-face

Até o próximo post.

Equipe TeuControle.com

Anúncios

Agenda de Treinamentos

TREINAMENTOS PARA JULHO E AGOSTO DE 2011 (SÃO PAULO)

 

FORMAÇÃO DE FACILITADORES

Transforme-se em um verdadeiro profissional de treinamento ou invista em uma nova atividade profissional. (clique aqui para ver o programa completo)

 

PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE CARREIRA

Crie uma carreira com foco e significado, se prepare para o futuro, saiba aproveitar novas oportunidades. (clique aqui para ver o programa completo)

 

COMO ABRIR SEU PRÓPRIO NEGÓCIO

Venha se preparar para abrir sua própria empresa com planejamento e uma melhor análise de oportunidades e risco. (clique aqui para ver o programa completo)

 

FORMAÇÃO DE PREÇO E GESTÃO FINANCEIRA

Entenda os números de sua empresa para levá-la ao crescimento com lucro e sustentabilidade. (clique aqui para ver o programa completo)

Como escrever um plano de negócios (Parte 6)

Hoje, vamos tratar de uma etapa essencial nos negócios que é o Marketing.

Como você pretende levar sua empresa para seus clientes? Como você pretende ficar conhecido e mais, como você pretende vender seus produtos e serviços?

Vamos por partes:

1. Como você quer que sua empresa, produtos e serviços sejam lembrados pelos seus clientes? Crie uma mensagem que identifique sua empresa, pode ser um logotipo, um nome escolhido cuidadosamente ou um slogan. Por exemplo, quando falamos “A número 1” nem precisamos mencionar qual produto nos referimos. Sua empresa precisa ser lembrada para que as pessoas possam comprar cada vez mais.

2. Pense em quais técnicas ou veículos de marketing que utilizará. Existem vários que você pode optar, tais como, panfletos, jornais, revistas, rádio, TV, mala-direta, feiras, outdoors, cartazes, merchandising, degustações, promoções, e-mail, blogs. Porém, você deve adequar ao seu orçamento e seu público-alvo. Não adianta gastar uma fortuna no horário nobre da TV, se seu público não estará ligado nesse momento. Atualmente, a Internet é uma ferramenta importantíssima e com um custo muito baixo, se bem trabalhado o marketing viral faz com que em pouco tempo, sua empresa seja conhecidíssima pelas pessoas.

3. E sua equipe de vendas? Como está estruturada? Muitos empresários ainda acreditam que vendedor é uma subraça e não dão o valor a esses profissionais essenciais nos dias de hoje. Assisti a uma palestra da Luiza Helena Trajano do Magazine Luiza e ela disse que as pessoas acham que vendedor é aquele que não encontra outra ocupação e aí se torna um e é nesse aspecto que reside um grande engano. Afinal, ele é a porta de entrada de sua empresa, que traz o resultado das vendas, que tem a capacidade de persuadir o cliente a comprar de você e não de seu concorrente. Sendo assim, merece nossa atenção.

Por isso, selecione muito bem sua equipe de vendas,  treine-a sempre que possível, oriente-a, essa é sua função, reconheça seu trabalho. São seus vendedores que estarão em contato direto com seus clientes, são eles que formam uma carteira de clientes que é valorizada pela mercado, seu passe está atrelado a isso, se você não valorizar, alguém vai! Lembre-se que você, em vários momentos também é cliente, quantas vezes foi atrás do seu vendedor predileto quando ele mudou de empresa?

Enfim, o marketing deve ser uma ferramenta bem utilizada para que seus resultados aumentem, por isso, planeje bem para que seja um investimento e não um custo de sua empresa.

O feedback

A bola da vez das empresas e profissionais é disseminar o processo de feedback, mas o que vi foi uma total falta de preparo dos gestores em lidar com isso.

Primeiro, porque muitos acreditam que o feedback é aprender como falar para as pessoas sobre seus defeitos “com jeitinho”, sem criar um clima ruim, sem melindrar o profissional.

Segundo, muitos profissionais que se dizem “expert” em feedback, na realidade, replicam o que lêem e não sabem como aplicar isso, pois muitos nem têm ou nunca tiveram equipes para verificar como isso se processa no dia-a-dia.

O feedback é um processo de mão dupla que deve ter a permissão de quem recebe e uma atenção de quem fornece.

Para entender melhor como isso se processa, apresentarei um instrumento que analisa o processo de intercomunicação pessoal que se chama Janela de Johari:

1. Área livre – onde constam informações que a pessoa conhece e as outras também.

2. Área do “mau hálito” – onde constam informações que a pessoa desconhece, mas as outras sabem. Por isso, que tem esse nome, afinal quem tem mau hálito é o último a saber.

3. Área oculta – onde constam informações que a pessoa conhece, mas as outras não.

4. Área do inconsciente – onde constam informações desconhecidas tanto para a pessoa quanto para as outras.

O grande mérito do feedback é fazer com que a pessoa descubra informações que ela desconhece para que possa desenvolver suas potencialidades, trabalhando seus pontos fracos e potencializando aqueles que são fortes e não simplesmente para que sejam expostos seus defeitos sem orientação. Isto é, trazer informações da área do “mau hálito” para a área livre.

Não se pode ir distribuindo feedback como se fosse uma metralhadora, as pessoas precisam querer crescer e por isso, querem receber feedback. Aqueles que não desejam receber, não podem ser obrigadas.

No ano passado, ministrei um treinamento para uma grande empresa que ocorreu na parte da tarde e na parte da manhã, todos os gestores receberam um treinamento sobre Feedback. Durante o almoço, um dos gestores se sentou em minha mesa e perguntei como tinha sido, o que havia visto e se toda a empresa passaria pelo treinamento.

Para minha surpresa, ele me disse que aprendeu como dizer ao funcionário sobre sua avaliação de desempenho sem parecer cruel e como gestor ele deveria replicar o que aprendeu para seus funcionários.

Quase engasguei com a comida, pois como alguém pode estar apto a falar sobre feedback com um treinamento de 4 horas? Muitas avaliações de desempenho apenas dão um retorno para o funcionário no fim do ano e como fica o acompanhamento durante o período para que ele possa se desenvolver?

O processo de feedback não é tão simplório. Ele é complexo, toda a equipe precisa estar conectada ao processo e ser conhecedora de todas as nuances, ela deve entender que o feedback é um processo que visa o desenvolvimento das pessoas e não sua exposição de forma a humilhá-la.

Por isso, vejo em vários treinamentos, pessoas que ainda mantêm o estigma do “mal” do feedback e dizem “odeio quem me dá!!!”.

Sinto dizer que, se você é daquele que acredita que lendo uma revista ou um livro que trata do assunto pode se tornar mestre em feedback, está redondamente enganado. O processo de feedback exige treino, sensibilidade, abertura em receber e, principalmente, gostar e respeitar as pessoas.

 

Queridos amigos…

Zona Sul abril 2008

No domingo (06/04/2008), encerrei mais um seminário Empretec e mais uma vez pude constatar a força mobilizadora desse workshop para empreendedores, considerado um dos melhores do mundo.

Foram dias intensos, onde pessoas se descobriram como seres humanos e como empreendedores, descobriram (ou redescobriram) seu poder de superar medos, encontraram (ou reencontraram) seus sonhos, enfim, viveram (ou reviveram) momentos de superação.

E posso garantir, que mesmo na função de facilitadora, após tantos anos, também aproveito para sempre reavivar os comportamentos empreendedores e aprender com essas pessoas maravilhosas que passam por nossa vida.

Normalmente, os participantes dizem que ganharam muito no seminário, porém o que poucos sabem é quantos presentes nos deixam ao partirem para uma nova jornada e apesar da distância estaremos sempre ligados pela experiência sempre única pela qual passamos durante esses dias.

Obrigada meus novos amigos:

  • Picci, George e Thiago – por suas colocações pontuais e objetivas
  • Lelê – por sua vivacidade e alegria
  • Amaral – por sua tenacidade
  • André e Renato – por seus questionamentos que faz com que nossos neurônios sejam sempre ativados
  • Carlão e Salustino – por sua alegria, trazendo bom humor para todos
  • Celma, Eliane e Teó – por sua meiguice, alegria e carinho
  • Duda – por sua juventude
  • Ezequiel – por sua força de trabalho
  • Flávio e Tati – por suas descobertas de suas potencialidades
  • Guita e Regina – por sua energia contagiante
  • Jorge e Nelson – por sua simplicidade
  • Jú B. e Taís – por sua força impressionante que move a todos
  • Jú – por enfrentar seus próprios desafios
  • Túlio – por seu carinho e preocupação com o desenvolvimento sustentável das pessoas
  • Maurício – por ser um “grande” cara
  • Max – por estar aberto a novos desafios
  • Vera – por sua humildade e disposição

Espero que vocês nunca percam essas qualidades que faz com que vocês sejam únicos na vida das pessoas que os cercam.

Continuem contagiando a todos , contribuindo para um mundo melhor!

Grande beijo!!!

Em busca do equilíbrio – família e trabalho

Tenho uma filha de 2 anos e nesse momento que escrevo este post, ela dorme o mais profundo dos sonos e por isso, resolvi trabalhar, afinal, normalmente durante a semana ela passa na casa dos avós paternos ou maternos e hoje, resolvi tirar o dia para ficar e brincar com ela.

Sempre fui uma workaholic (acredito que ainda sou, mas estou melhorando). Já virei noites trabalhando e isso nunca foi causa de stress, até que gosto de uma pressão, afinal a vida é assim.

Até no dia anterior ao seu nascimento, trabalhei sem descanso, me dedicando exclusivamente ao meu desenvolvimento profissional, porém, no dia em que ela veio ao mundo, tive que tirar umas férias forçadas e isso me levou a rever vários pontos de minha vida e planejar como eu gostaria de ser e viver a partir desse momento.

Decidi vender o meu comércio que me tomava um tempo enorme e fazer, exclusivamente, o que amo de paixão, desenvolver e ministrar treinamentos, pois posso estar com minha filha por muito mais tempo e administro nossa agenda.

Consigo estar presente no seu aniversário (o dia todo), posso preparar as datas comemorativas para festejarmos juntas, vou à pediatra e à clínica para aplicar as vacinas, enfim, curto seu crescimento e vibro com cada nova aprendizagem e sei que estou fazendo parte integralmente de sua vida.

Quer dizer que virei mais mãe do que profissional? Grande engano! Hoje, preciso administrar muito melhor meu tempo para ser produtiva, pois nos momentos em que minha filha está com os avós ou dormindo, preciso me dedicar aos estudos, leituras e pesquisas para o desenvolvimento dos treinamentos e isso me torna mais alerta e ágil.

O grande questionamento em todos os treinamentos que ministro é como equilibrar família e trabalho, pois muitos acham impossível, dizem que trabalham muito, pois amam a família e querem o melhor para ela, mas a família não entende e reclama que passam muito pouco tempo juntos.

Se você faz parte desse time de “desequilibrados” pense em relação a algumas questões:

1. Você trabalha muito porque:

a) seu trabalho exige;

b) é desorganizado;

c) é do tipo “bonzinho” que todas as pessoas vêm pedir ajuda e não sabe falar “não”;

d) na realidade, ama o que faz e é onde encontra o maior prazer na vida.

Se você respondeu a, verifique se esse é o trabalho que você quer ter, caso contrário, está na hora de trocar de emprego ou de ter um outro negócio. Se você respondeu b, talvez está na hora de realizar um planejamento e buscar uma maior organização, provavelmente, conseguirá mais tempo disponível (visite www.triadedotempo.com.br). Se você respondeu c, enquanto você não aprender a dizer “não”, as pessoas vão embora mais cedo e você vai ficando… Se você respondeu d, nunca mais dê a desculpa de que você trabalha pela sua família, sejamos verdadeiros… você trabalha para VOCÊ! 

Vejo muitos pais que trabalham muito para proporcionar mais conforto e possibilidades para seus filhos e acreditam (eles acreditam mesmo!) que isso é suficiente, porém, em meus trabalhos com adolescentes, depois de muita conversa, observamos que eles estão cheios de “ter”, na realidades eles querem “ser”.

SER filho, SER ouvido, SER visto, SER cobrado, enfim, SER amado!

E para SER, precisam da companhia de seus pais, não 24 horas por dia, mas integralmente pelo menos por alguns minutos. O que quero dizer integralmente? Não é sair com seu filho para um passeio e ficar pendurado no celular resolvendo coisas do trabalho, não curtindo seu filho e passeio. Integralmente, quer dizer, talvez passar 15 minutos, conversando com seu filho sobre o dia dele, olhando nos olhos dele, prestando atenção no que diz, curtindo esse momento. Não é quantidade de tempo que você passa com sua família, mas a qualidade de tempo.

A busca do equilíbrio está em trabalhar em algo que você gosta (e assumir isso) e planejar seu tempo para estar com sua família, fazendo programas em que todos se divertam; tomar um sorvete, ir no shopping, assistir a um filme, jogar futebol, passear.

Não fique esperando ganhar 1 milhão, 200 mil, 10 mil para aproveitar sua família; pois pode ser que quando você chegar lá, ela não estará mais te esperando em casa.